A igreja de S. Martinho de Bornes  fica situado num cômoro que dá pelo nome de Monte de Castro.

 

Pela sua situação geográfica estes cômoros foram utilizados para instalar fortalezas, aldeias e até edifícios dedicados ao culto pelas diversas civilizações.
 
Aí podemos encontrar alguma cerâmica que aparece à superfície, sobretudo no terreno plantado de vinha nos espaços do paçal.
 
A Igreja de S. Martinho foi então mandada edificar em pleno Castro, e muita da pedra do monumento foi provavelmente utilizada na sua construção.
 
Esta Igreja tem um estilo arquitectónico tipicamente romano e juntamente com a capela de S. Geraldo foram as únicas sobreviventes às vicissitudes menos felizes dos seus reitores. Mais dois templos, S. Sebastião e Espírito Santo foram mandados demolir, esta demolição ocorreu entre 1706 e 1717.
 
Os únicos foreiros que conhecemos da Comenda de S. Martinho, são os Senhores da casa dos Morgados da Senhora do Desterro em Bornes. Foi seu primeiro foreiro Leonardo Machado. Desmembrou-se a Reitoria de S. Martinho de Bornes no ano de 1834.
Esta Igreja é anterior à formação da nacionalidade Portuguesa e S. Geraldo terá provavelmente baptizado D. Afonso Henriques.
Igreja São MArtinho
 
Fonte do Carvalho
 
Perto do largo uma fonte de mergulho possuindo uma imagem de São Martinho, em azulejo.
Fonte carvalho 
 Cruzeiro de Bornes de Aguiar
 
Este magnífico cruzeiro com 5 metros de altura. A esse cruzeiro se refere o Padre João Parente (in “ Os Cruzeiros da diocese de Vila Real”- 2004: “ Possui plataforma quadrangular, de quatro degraus, o mais baixo dos quais parcialmente soterrado. Base cubóide. Cruz com fuste quadrangular e braços biselados, terminados em flor.
Cruzeiro Bornes